quinta-feira, 24 de maio de 2018

Mulheres virgens.



Cada vez mais raro, se torna um objeto de consumo muito caro!

Não sei como ainda existem muitos homens, que sonham se relacionar e casar com mulheres virgens, num período em que o feminismo realizou uma lavagem cerebral em nível internacional, persuadindo-as para ser promiscuas. Um rapaz novo de 14 ou 15 anos, ainda “pode” sonhar com isso, de pegar mulher virgem, mas mesmo assim é muito difícil, porque elas estão começando a vida sexual cada vez mais cedo. Para ter uma ideia, sem sacanagem alguma, um dia estava na piscina do Clube do Fluminense, estava escutando conversas de grupos de meninas de 6 e 8 anos de idade, falando de meninos. Uma falava “Marcelo é bonito!”, outra falava “Gosto mais do Gustavo!”, outra “Rodrigo é engraçadinho!”,  sem brincadeira alguma, isso aconteceu mesmo. Ou seja, elas estão perdendo a virgindade cada vez mais cedo.

Mesmo quando a mulher consegue manter a virgindade até certa idade, é extremamente difícil de ter relações sexuais com ela, não libera logo de cara, às vezes o homem demora meses ou até mesmo anos para ter relações com ela. Mulheres virgens faz o homem perder tempo e dinheiro, e muitas das vezes, nem acaba liberando para o cara, no final sempre acaba dando para outro homem, que nem conhece. Isso acontece com muita frequência!

A mulher é como carro, quando menos rodada for mais caro fica, ainda mais se for bonita, estiver numa faculdade, boa aparência, boa roupa, etc, essas se tornam inviáveis, pois para liberar o homem deve pagar um preço muito alto. É uma prostituição literalmente, onde leiloa a sua virgindade, pois o primeiro que chegar ali, deve pagar um preço bem alto. São duas coisas que atraem as mulheres, dinheiro e/ou drogas, pois se não tiver uns desses dois fatores, fica muito difícil.

Por exemplo, durante a minha vida, já peguei umas 10 mulheres virgens, mas não descabacei ninguém. Já fui o primeiro namorado de muitas mulheres, mas não comi nenhuma, porque não tinha boa condição financeira. Lembro quando tinha 30 anos, peguei uma mulher de 18 anos e virgem, ela queria que bancasse geral, e no final não consegui ter relações com ela.

Conheço muitas histórias de homens que acreditaram que seriam o primeiro homem da vida da mulher, mas no final acabou dando para outro homem. Isso destrói a autoestima do homem, dá uma sensação de fracasso, parecendo que foi molestado moralmente, e pior de tudo, quando vê o homem que descabaçou a mulher que estava afim.

Hoje em dia pode ver isso Claramente, elas lutam
pelo direito de ser puta, sem ser questionada sobre isso!
Vou ser sincero com vocês, não esquentam a cabeça se a mulher é virgem ou não, isso não importa mais nos dias de hoje, depois que tem a primeira relação, começam liberar geral, sendo capaz de até mesmo traí-lo. Exigir virgindade e fidelidade das mulheres nos dias de hoje, está assinando o atestado de otário, mas toma muito cuidado para não entrar em paranoia por causa disso.

A minha visão mudou muito ultimamente, agora não importo mais o passado sexual da mulher, se foi promiscua, foi alegria da galera, isso para mim, não tem mais importância, porque não vou levar mais ninguém a sério. Elas querem ser promiscuas, então tirem aproveito delas come todo mundo, e depois mete um pé na bunda delas. Aprendem tirar aproveito numa tragédia, para que esquentar a cabeça, se podem tirar bom aproveito disso, somente não ter algum compromisso sério com elas.

Engraçado que sempre faço o mesmo truque e sempre funciona, quero saber se a mulher foi promiscua ou não, sempre dou de um homem liberal, de mente aberta, sem preconceito, deixo-a bem à vontade, e melhor de tudo, elas acabam falando tudo, dependendo da conversa, ai posso ver se posso levar a sério ou não. Como muitos de vocês já sabem, é muito arriscado manter um relacionamento nos dias de hoje, ainda mais existe toda uma mídia feminista visando a destruição dos homens.

Tira aproveito da situação!
Come e depois manda tomar no cu!
Essa técnica de fazer a mulher perder a virgindade cada vez mais cedo, isso é feito de propósito pelas feministas, fazendo o homem perder o poder de escolha, pois o mesmo feeling que elas têm para saber quando o homem é pobre, nós também temos o mesmo feeling para saber quando a mulher é vagabunda. Então como a virgindade é raro nos dias de hoje, então se torna um objeto de luxo.

Não esquente mais a cabeça se a mulher é mais virgem ou não, não interessa mais o passado sexual dela, porque elas não vão mudar de pensamento e comportamento, nós que devemos mudar de pensamento e comportamento, tirem aproveito e manda tomar no cu. Essa guerra já está perdida, não tem como vencer, o que nos resta é fazer um bom negócio através de um mau negócio. Simplesmente não as levam mais a sério, começa a cagar e andar para a sociedade, principalmente para as mulheres.

Tomem cuidado para não engravidá-las, não bate e nem xingue, não maltrate, não faça nada contra elas, que pode voltar contra você, apenas aprende tirar aproveito da situação. Foram elas próprias que criaram essa realidade, não se culpe por isso, mas tomam muito cuidado para não se tornar escravo do sexo. Não lute contra uma coisa que não pode vencer, às vezes devemos fazer a vontade do inimigo, pois elas querem ser promiscuas então deixa, aprenda tirar vantagens disso, senão será como palito de fosforo, que esquenta a cabeça e no final morre todo queimado.

Sejam Felizes e Superam Todas as Paixões!

Márcio de Andrade

terça-feira, 22 de maio de 2018

Relacionamento frustrado e decepcionante.

Não cometa suicídio, crie novos objetivos na sua vida,
zera o cronometro e recomeça tudo outra vez!
Seja Feliz e Supera as Paixões!
O Confrade Antônio Carlos passou um e-mail para mim, relatando o que aconteceu, um relacionamento frustrado, que está destruindo aos poucos com a vida dele. Ele pede opinião dos mais experientes, de como superar essa fraqueza no momento tão difícil. Peço a todos os Confrades que sejam educados com ele, responda sem agressão e ofensas, caso contrário, não será publicado comentários ofensivos.
Peço a compreensão de vocês!
Obrigado!

Meu nome é Antônio Carlos, 30 anos e no ápice do meu desespero envio ao fórum meu relato para pedir ajuda. Acompanho o fórum há 5 dias e no momento me encontro perdido, pensando em suicídio com uma frequência. 

A história é grande, um desabafo. 

Conheço essa mulher desde criança, crescemos juntos como irmãos e nossos pais eram amigos, moravam na mesma rua, porta com porta temos até fotos de quando éramos bebês, os dois juntos. Estudamos na mesma escola, a gente tinha os mesmos amigos.  Quando ela tinha 12 e eu 14 demos o nosso primeiro beijo, a gente era BV, e começamos a namorar. Nossos pais aprovavam e até fazia planos de nos presentear com um apartamento depois do casório.

Se passaram 4 anos, e ainda não tínhamos tido nossa primeira relação continuávamos virgens, não por escolha minha, o que mais queria era transar com ela, eu era muito apaixonado por aquela mulher, mas ela era muito menina, infantil. Brigava com ela por ela ter 16 anos e ficar na rua descalça com um monte de criança de 10. Quando falava de sexo ela se acanhava, falava não estar pronta, que tinha medo, que não estava na hora ainda, tinha medo do pai dela, de engravidar.  Falava também que queria casar depois dos 20 e filhos só depois da faculdade, falava muito dos planos pra nossa festa de casamento, a gente ficava horas conversando sobre isso.

Não queria que ela fizesse sexo pressionada, então não insistia muito e nosso namoro nunca passou dos beijos e nas poucas oportunidades que a gente tinha, a minha mãe batia na porta do quarto,   a gente saía e ela sempre levava a amiga pra segurar vela, era muito difícil termos momentos para ficar mais a vontade.

Nessa época mudou um casal para a casa do lado, esse casal tinha um amigo que aparentava ter por volta de 25 mais ou menos, sempre ia a casa deles acompanhado de alguma mulher, sempre uma mulher diferente, cavaluda, grande, bunduda, peituda, mulheres beberronas e fumantes com tatuagens e pircings, ele parecia um marginal traficante ou assaltante, mestiço e cheio de tatuagens, sempre com um copo na mão e uma prostituta ao lado, parecia ser o dono do mundo, com a cabeça erguida como se fosse superior a qualquer mortal. 

Certa vez houve uma briga na casa desses vizinhos que a polícia foi chamada, ele estava com uma moça e outra chegou e partiu para a briga com ela por causa dele. Sabe o que ele fez? Saiu e deixou as duas brigando no meio da rua, uma pegou a garrafa e acertou na cabeça da mulher que estava com ele e o covarde foi embora antes da policia chegar, sem socorrer a menina.  Só por aí você vê a personalidade da pessoa que eu estou falando. 

Nunca imaginei que ele voltaria os olhos para minha namorada, ela é o oposto das mulheres que faziam companhia a ele,  parecia uma criança perto dele, totalmente incompatível. Eu muito inocente não vi nada de suspeito, um dia ela me chama de canto e simplesmente termina o namoro. Falar disso me causa náuseas, arrepios, é muito doloroso. 

Ela disse que não gostava mais de mim e que estava gostando de outro, que não tinha como a gente manter nem a amizade e nem me disse quem era o sujeito.  Na minha inocência cheguei a pensar que era um colega dela deficiente físico, ele era o único contato que ela tinha que eu não conhecia, esse menino estudava na sala dela e enquanto todos o ignorava e o excluía por ser deficiente físico, ela era a única pessoa que ainda fazia a caridade de conversar e fazer trabalho com ele, lanchar no intervalo e essas coisas. 

No mesmo dia eu conversei com a melhor amiga dela, que também era minha amiga e disse que iria lá tirar satisfação, eu sabia que era ele, não podia ser outra pessoa. Foi ai que ela me disse quem era o homem,  o amigo do vizinho, ao qual vou chamar de marginal e verme. Eu quis me matar,  me senti um lixo, ser trocado por um desgraçado com cara de ladrão. Eu não sabia nada dele e nem como ele se aproximou dela.

Tentei conversar, ela não  me dava nem um bom dia, nem amizade quis manter. Os pais dela nem sonhava e eu não tive coragem de contar a eles o verdadeiro motivo do término, estava muito envergonhado. Eu vim de uma boa família, dirigia o carro do meu pai que fazia todas as amigas dela ficar de boca aberta quando ia buscar ela na escola, e ela me troca por marginal da favela. 

Foto meramente ilustrativa retirado do Google.

Semanas se passou e ela estava obcecada por esse verme, estava matando aula pra se encontrar com ele, se afastou de todos os nossos amigos, me falaram que ela ficava no intervalo sozinha, isso quando não fugia pra se encontrar com ele as escuras , a mãe dela uma certa vez me gritou as 2 da manhã,  foi ao quarto dela e ela não estava, aí eu resolvi dizer tudo, falar com quem a filha dela estava saindo.

Nesse dia ela chegou de manhã e da janela da sala da minha casa ouvi a briga, pensei que ela ia falar comigo para saber o porquê que contei tudo a mãe dela, mais ela me ignorou, passava do meu lado e nem me olhava, é como se eu não existisse mais. Passou mais alguns  meses ela estava com um corpo de mulher, não brincava mais na rua descalça, ficou mais bonita do que já era, e não saía mais na rua, parecia que vivia em um mundo onde só aquele verme existia. Nesse tempo eu me aproximei mais da nossa amiga em comum e ficava sabendo por ela e pela minha mãe do que estava acontecendo. Ela já não falava com o pai,  ele não aceitava o namoro com aquele marginal.

A mãe dela descobriu que ele trabalhava de soldador em uma fabrica de suportes, tinha 23 anos e pra minha surpresa não tinha passagens pela polícia. A mãe dela fez denúncia contra ele na delegacia e levou a filha no IML, assim comprovado que o desgraçado tinha abusado dela, mas não deu nada porquê ela já tinha 17 anos e disse na frente de todo mundo que ficou com ele por livre e espontânea vontade. 

Ela engravidou como era de se esperar.  O pai dela colocou ela pra fora de casa quando descobriu a gravidez e ela foi morar com o verme. Nessa período  tive um emagrecimento drástico, pneumonia e início de depressão, eu sofri demais, não tinha mais notícias dela, ela não falava mais com os pais não tínhamos  redes social na época,  para que eu pudesse acompanhar, sonhava com ele batendo nela, ela passando necessidades e isso aumentava mais a minha angustia, só que não tinha o que fazer.

Fui morar no Rio de Janeiro na casa de um primo, meu pai pagou a minha faculdade de Engenharia Mecânica, encontrei um bom emprego, tive alguns relacionamentos, mas todos fracassaram,  eu sempre amei aquela mulher com todas as minhas forças, e não conseguia me entregar a outra mulher por completo, mais estava tocando a minha vida. Comprei um apartamento e tudo estava caminhando bem.

Foram 12 anos que tudo isso aconteceu. Voltando para a atualidade,  em janeiro tive que voltar a casa dos meus pais,  meu pai teve um AVC e depois outro e ficou inválido, minha mãe não tem condições de cuidar dele sozinha, minha irmã se casou e foi morar na Argentina e sobrou pra mim a tarefa pesada de cuidar dele, levar nas consultas, carregar para o banho, minha mãe já de idade e não tem força física para isso.

Voltei imaginando a vida que aquela desgraçada estava levando, descobri que ela teve mais dois filhos e ainda estava casada com o verme, não terminou o ensino médio e era uma dona de casa sem instrução. A mãe dela está com câncer e ela e as três irmãs se revezam em dias da semana para cuidar da moribunda. Até que um dia através da janela eu vejo um carro encostar, ela o verme e três crianças dentro do carro.  Ela continua bela, com boas roupas o e corpo esbelto, cabelos loiros e longos, ainda está uma mulher maravilhosa, não acreditei quando vi, depois de ter três catarrentos ela ainda mantinha aquela beleza infantil.

Foto meramente ilustrativa, pego no Google.
Meu coração acelerou e eu perdi o ar, decidi ir cumprimentar ela, enquanto ele tirava as crianças do carro eu abri o portão e fui falar com ela na frente dele, que me olhou com indiferença e saiu. Ela me olhou meio sem graça mas foi educada, colocando os cabelos atrás da orelha e olhando pra baixo, me apresentou os filhos, dois meninos de 11 e 8  e uma menina de 2,  ela é branca dos olhos claros e os filhos são mestiços, igual ao pai. Perguntei como ela estava e ela sem jeito me disse que bem, logo encerrou o assunto e entrou.

Os dias foram passando e eu notei a rotina da família.  Ela aparecia toda segunda e quarta feira, por volta das 8 o verme a deixava, e as 5 da tarde vinha buscar, no período das férias ela vinha acompanhada dos catarrentos, depois vinha só ela e a menina mais nova. Adicionei ela no Facebook mas ela não aceitou a amizade e ainda me bloqueou, pensei que ainda mexia com ela, porquê ela não queria contato comigo? Se estava bem no casamento, no que eu podia atrapalhar. Passei acompanhar a vida dela através do facebook da minha mãe.  O verme agora é sócio na tal fabrica, é dono de uma distribuidora de bebidas, por isso está com um carro muito melhor e foi aceito pela família dela. Só para você vê a mercenária que é mãe moribunda, antes ela chamava ele pobre,  miserável, preferia ver a filha morta a casada com aquele verme, e hoje a velha falta chupar o cassete dele. Me dá ódio disso.

Pelas redes sociais eu vi que ela compartilha fotos com o marido e os filhos, declarações de amor para a família, receitas de comida _ são as preferidas dos homens da vida dela (diz ela)  E ele nem curte nem comenta nada, só coloca foto dele e dos filhos, ou jogando bola ou no estádio de futebol, dirigido card e nem menciona a idiota, poucas fotos com ela, nem a declaração de amor que ela fez pra ele no aniversário mereceu um like do verme, parece que ele tomou ela de mim só para ela procriar e lhe dar filhos, não vi nenhum carinho da parte dele para ela, só para os filhos.

Eu fiquei semanas acompanhando e pensei que ela poderia estar carente, decidi mandar uma menssagem pra ela através do menssager, perguntei se ela estava bem, com estava a mãe dela e me identifiquei, não era a minha mãe era eu mesmo Antônio Carlos. Ela disse para eu não mandar mensagens pra ela, que o marido dela não aceitaria ela conversando comigo,  que eu não fosse falar mais com ela, principalmente na frente dele e bloqueou a minha mãe também.

A primeira coisa que eu pensei é que ela vive em um relacionamento abusivo e que o verme não deixa ela trabalhar nem sair de casa sozinha, ela deve passar o inferno nas mãos dele. Mais como eu saberia, se ela não queria nem conversar comigo? Lá vai eu tentar mais uma aproximação,  ela disse que da próxima vez contaria ao marido que eu estava atrás dela.  Foi aí que aconteceu algo que me deixou nessa situação, me sentindo castrado, merda é o que vejo ao olhar no espelho e não sei o que fazer para sair disso.

Uns 20 dias,  estava lavando o carro do meu pai em frente de casa e vejo alguém se aproximar, era o verme,  me perguntou porquê eu estava atrás da mulher dele, mandando mensagem mesmo ela falando que não queria. Eu disse a ele, que ela disse pra ele que não queria, mas não foi isso que ela disse pra mim,  ele me falou que ela não tinha falado nada para ele, quem falou foi a mãe dela, que ele estava sabendo de tudo. 
 Eu respondi com raiva, tremendo, suando.  Eu perguntei o porquê dele achar ruim, se quando ela era a minha mulher ele não se importou de correr atrás dela mesmo sabendo que ela estava comigo,  ele falou, nós dois sabemos que ela nunca foi sua mulher, você sabe disso e eu sei disso. Continuou falando que o nosso namoro,  foi um namoro café com leite de criança tão insignificante que ele fez em dois meses o que eu não consegui fazer em 4 anos.

Fiquei tão  pequenininho na frente dele, me senti outra vez humilhado por aquele infeliz ele estava zombando de mim na minha cara e eu não tinha o que fazer, nem o que falar, me senti pior por não ter o que responder, pensava que ele via através dos meus olhos, sabia o que estava falando e nem sequer questionou quando eu disse que ela tinha me dado alguma brecha, parece que ele sabia que eu estava mentindo, me olhava com um ar de deboche.  Ele continuou, eu pensei que era algo sério, mas acho que você só quer dar o troco, aí fica a critério dela, desde que você não use a força, te desejo boa sorte, só não force a barra porquê aí vai ser comigo mesmo, esperou um pouco, eu não conseguia falar nada, só tremia de ódio, ele foi embora. 

Desse dia pra hoje, ele não vem mais com ela, ela vem sozinha sem a filha mais nova, por volta das 3 ela vai embora, as vezes de ônibus, as vezes de carro. Desde o dia dessa conversa até hoje não vi mais ele por aqui. De repente a minha ficha caiu. Ele se acha superior a mim, deixou o caminho livre para mim tentar alguma coisa com ela tendo a certeza que ela não me daria abertura, ele me considera um nada. 

Vivemos da aposentadoria do meu pai, estou tranquilo  financeiramente falando, meu apartamento no Rio está alugado, e eu não trabalho, para cuidar do meu pai. Passo horas  nas redes sociais e a maior parte do dia acompanhando o perfil dos dois, ver o que ela posta e o que ele faz na profissão na vida particular,  é o que me motiva a sair da cama todas as manhãs.

Todos os meus amigos estão casados e com filhos e seguem a vida em paz e eu estou aqui com 30 anos, cuidando de um vegetal, sozinho, minha mãe vai dormir as 8 e fica tudo escuro, não tenho com quem conversar e me pego sonhando como seria se aqueles três filhos fossem meus, aquela hora estaríamos jantando a mesa, eu levando eles pro estádio pra torcer pelo Botafogo, teria uma mulher bacana me fazendo companhia.

Nesse momento agora mesmo estou em lagrimas, pensando no que se tornou a minha vida, não vou conseguir ficar aqui vendo a felicidade deles montada sobre a minha desgraça. Acompanho o fórum há uns 5 dias e li alguns textos em que falam que a mulher promíscua vai pagar por preferir os homens que não prestam, então quando chegará a hora dela? Eu voltei com a certeza  de encontrar uma mulher gorda, mãe separada e trabalhando num subemprego, desesperada para encontrar alguém que a acolhesse,  não foi isso que aconteceu. Tenho pensamentos de suicido de homicídio, penso em matar os filhos dela, pensamentos que invade a minha cabeça contra minha vontade,  não sei de devo deixar meus pais aqui e voltar pro Rio. Não sei o que fazer. 

O que eu queria na verdade era fazer com ele o que ele fez comigo, apagar da mente. Era essa esperança que me mantinha, só agora depois de ser humilhado igual a um cão de rua, tive a consciência que preciso virar essa página, já deu essa história, ela idolatra aquele verme e ele sabe disso, ela pensa que ele é um super-homem e não enxerga nada além dele e dos filhos, não tem espaço para mim na vida dela desde o momento que aquele homem entrou nas nossas vidas. 

Deixo esse relato a você e peço encarecidamente conselhos de como tirar essa mulher da minha mente, como prosseguir e superar, como me reinventar e sair desse poço sem fundo ao qual estou inserido. Ainda sou novo e coloquei na cabeça que preciso seguir em frente e fazer com ela o que ela fez comigo. Vejo que o fórum é composto por homens experientes e vividos, gostaria da opinião desses para abrir a mente, uns sopapos e chuva de verdades é o que preciso. O que  poderia fazer para tentar começar sair desse mar de tristeza e desanimo que invade a minha vida como um furacão, impedindo que eu siga o meu caminho. 

 Tudo bem, meu amigo!

Não sei se já leu todo o meu blog, aqui ensino como o homem superar as paixões, procure ler todo o blog. Na vida não temos controle de nada, tudo é imprevisível, não temos controle sobre a nossa vida, por isso, que nós sofremos. Primeiro vamos por parte, a sua primeira frustração com ela foi porque não conseguiu transar com ela, vocês cresceram juntos e chegou pensar que seria o primeiro homem da vida dela. Já aconteceu várias vezes comigo, pegar uma mulher virgem, não transar com ela, e chega outro homem fode com ela. Isso é muito frustrante para o homem. Na realidade você não é apaixonado por ela, mas sim, pela beleza dela, em que seduz o homem, tornando-se escravo dela. A juventude e a beleza da mulher, pode escravizar o homem, induzindo à loucura, assassinado e suicídio.

Você não parou para penar, se mesmo depois se ela separasse do cara, você iria assumi-la com 3 filhos? Seu amor por ela é tão grande, que iria sustentar os 3 filhos dela? Voltaria para ela, quando negou a virgindade para você, e preferiu dar para o marginal? Você está preso no passado, um fragmento da sua alma ficou lá trás, traz esse fragmento para o presente e restaura a sua alma, leia o blog, que irá entender do que estou falando.

Esqueça-se dessa mulher, valoriza quem sempre te valorizou que foi o seu pai, dedique a ele, toma conta dele e faça com prazer. Você se apaixonou tanto por essa mulher, que ficou amarrado nela, e quando isso acontece, a pessoa não se desenvolve, ficando sempre no mesmo lugar. A vida é feito de fases, já teve a sua fase com ela, mas hoje em dia, você se encontra numa outra fase, crie novos objetivos, zera o cronometro e segue o seu rumo. Aprenda a superar essa fraqueza, se fortalece onde é fraco, seja mais racional e não sentimental.

Não faz nada contra o rapaz, a mulher e os filhos dela, porque ela já fez a escolha dela, e você não pode fazer nada. Não mate ninguém, para de procurar por ela, não veja mais o Facebook dela, deixa a mulher em paz, senão entrará na loucura e suicídio. Por favor, não cometa suicídio, aprende dar a volta por cima, você tem que viver, para tomar conta do seu pai, que precisa muito de você. A sua família precisa de você, pensa na sua mãe! 

Já passei por isso, fiquei 16 anos com pensamento fixo numa mulher, lembrava dela todos os dias, cheguei até na paranoia de pensar se iria carregar a imagem dela na minha mente, até o momento da minha morte. Dois anos pra cá, parei de pensar nela, que isso pode ser lido no meu blog.
Um forte abraço!

São os meus votos!

Sejam Felizes e Superam as Paixões!

Márcio de Andrade


















quarta-feira, 16 de maio de 2018

Troca-troca

Meninos realizam troca-troca.

Fiz troca-troca quando criança e isso me atormentou por anos.
Anônimo

O objetivo do blog é ajudar as pessoas como superar as suas fraquezas, tendo uma qualidade de vida melhor, superando os seus traumas e complexos, ou tudo aquilo que perturba a sua mente. Os pensamentos são imprevisíveis, nunca sabemos quando seremos atacados por eles. Eles vêm de forma involuntário e invasiva, causando crises de aflições, ocasionados pelos acontecimentos passados. Durante anos estudei parapsicologia (apesar de que não gosto de falar que sou parapsicólogo), em que me “especializei” na mente humana, fenômenos sobrenaturais e filosofia. No pensamento hindu diz tudo aquilo, que provoca sofrimento, tornando-se prisioneiro do passado, chama-se cativeiro material, onde surgem vários tipos de misérias, como doenças, angustias, pensamentos involuntários, prisão do passado, etc.
Às vezes coloco o dedo na ferida das pessoas na intenção de arrancar o mal pela raiz, assuntos que perturba a mente masculina, principalmente quando a sua masculinidade foi violada. Você deve encarar esse problema de frente, transcender a matéria, ou seja, o seu corpo e a sua mente deve estar subordinada a sua alma. Você nasceu numa família simples, que não te ensinou sobre a maldade das pessoas, os seus familiares não te ensinaram para te cuidar sobre os garotos mais fortes, que gostam de molestar os menores. Os seus familiares não te ensinaram, que fazer troca-troca era errado, talvez fosse por inocência mesmo. Numa família mais cascuda, esse tipo de coisa é mais difícil de acontecer, porque os parentes ensinam essas questões para a criança, em que muitos já se livraram dos estupradores. Mas, infelizmente, você fez troca-troca, ou o famoso meinha, já passaram anos, e mesmo assim esse assunto assombra a sua mente, até nos dias atuais.
Isso perturba a sua mente, é por causa dos fatores externos, porque a sociedade fala que não existe ex-viado (a palavra viado pesa na sua mente, quando é pronunciada, você fica congelado, isso acontece, porque o subconsciente se manifesta), então como foi penetrado, será gay para sempre. Na realidade está preocupado com os rótulos, pois se você retirar e eliminar esse rótulo terá a paz de espirito. Você se questiona se é hétero ou não, porque fez troca-troca quando era criança, isso causa um conflito mental muito forte em você. Só porque fez meinha quando era criança, isso não significa que seja homossexual, porque você não está identificado com esse comportamento, por isso, que existem os conflitos mentais.
Li um site de uma psiquiatra dizendo que é normal fazer meinha quando é criança, o importante era para usar camisinha, que fosse meninos da mesma idade,  em que tudo estava resolvido. Isso não é uma coisa normal, afirmar isso significa incentivar o homossexualismo nos jovens, querendo fazer a cabeça dos pais aceitarem esse comportamento como normal. Sendo que a família ensinasse para o menino não deixar os garotos mais velhos abusarem sexualmente deles, isso iria diminuir muito, e quando esses meninos tornar homens adultos, não serão assombrados pelo passado.
O que acontece na adolescência, tanto os meninos e as meninas passam por um período de confusão mental, em questão da sexualidade, como não tem o cérebro formado, muitos sofrem com pensamentos homossexuais, pois se não souber orientar, os jovens podem ir para esse caminho. O motivo é simples, tanto menino e menina tem timidez para um chegar ao outro, então como quer ter experiência sexual, fica mais fácil fazer com o amigo. O troca-troca sempre acontece quando um lado começa a dar ideia, e o outro aceita por inocência.
A técnica do GLBT é essa, pois eles sabem que os jovens passam por essa confusão mental sobre a sexualidade, então usam a propaganda ideológica para influenciá-los sexualmente. Nas paradas gays o número de adolescentes participando desse evento é impressionante, mas esses jovens não sabem o que esperam no futuro. Assim como um viciado em drogas, os adolescentes não enxergam o prejuízo que vão tomar a médio e ao longo prazo.
Em nome de combater o preconceito, as pessoas perderam o senso critico, então estão consumindo drogas e prática de homossexualismo, sabendo que no futuro, esses comportamentos vão torturar as mentes deles. Ou seja, quando ensinam para os jovens que o troca-troca é uma coisa normal, ele irá praticar, mas no futuro será torturado com isso, onde provocará grande sofrimento nele. Esse tipo de ideologia é uma guerra psicológica, em que na fase adulta o homem sofrerá com tortura mentais.
O mesmo ocorre com as mulheres quando ensinam a homossexualidade e a promiscuidade, quando elas ficarem mais velhas, serão torturadas pelos pensamentos, que fizeram no passado. Já entrevistei mulheres entre 35 a 60 anos, falaram para mim que as suas vidas são vazias, cheio de traumas, nunca conheceram a paz verdadeira e nem a felicidade, porque todas elas foram promiscuas no passado.
O sexo é a arma mais eficaz para destruir o psicológico da sociedade ao longo prazo, fazendo a pessoa ter pesadelos, pensamentos torturantes, prisão do passado, questionando sobre a sua heterossexualidade, paranoia, fobias, traumas, sem rumo na vida e caminhando pelo lado mais obscuro da existência humana. Pedofilia é incentivada para destruir o psicológico da criança quando crescer, é um ato de guerra, que irá destruir não o seu corpo e sim a sua mente.
Para superar esse obstáculo é uma tarefa muito árdua e difícil, não é uma coisa simples, você deve fazer as pazes com o tempo, ou seja, trabalhar junto com o tempo, ser aliado dele, para aprender superar esse prejuízo psicológico. Procure ler todo o blog, porque ensino como superar a fraqueza do corpo e como se libertar do cativeiro material. Faço isso por amizade mesmo, pois o meu pagamento é vê-los superando as suas fraquezas, saindo dessa prisão psicológica. Quero que transcenda a matéria e tenha uma vida muito feliz. São os meus votos para vocês.
Sejam Felizes e Superam Todas as Paixões!
Márcio de Andrade